Este blog é dedicado a todas as mulheres que procuram informação e orientação médica sobre os procedimentos médicos que são realizados para o bem-estar da região genital feminina.
Para que nossa sexualidade se desenvolva de uma maneira adequada, há que se gostar, há que apreciar a beleza do corpo humano, em todos os seus matizes e em todas as suas diferenças, com vergonhas e tabús, incertezas e até mesmo, angústias.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Dr. Jorge Gioscia Filho

jgioscia@ibest.com.br
celular 51 81778018

terça-feira, 24 de maio de 2011

Himenoplastia: Religião ou Estética, respeito à decisão da paciente!

Falar de virgindade sem falar de religião e cultura é muito difícil. O himem sempre significou pureza, castidade. E não vamos somente às culturas orientais maometanas. A nossa cultura cristã determina a virgindade para religiosas como forma de casamento com Cristo.
É um assunto que mexe muito com o imaginário, o preconceito e a própria conduta pessoal de cada um.
Desconheço que a himenoplastia seja proibida em alguns países mas certamente isso deve acontecer em culturas africanas e muçulmanas, onde o controle étnico é imperioso.
Vários tipos de hímens
O que justifica, culturalmente a cirurgia? Há um livro bastante interessante sobre as “patricinhas muçulmanas” onde a virgindade é encarada de uma forma muito séria chamado Vida Dupla, da escritora Rajaa Alsanea.
Muitas religiões criaram normas rejendo o comportamento sexual humano. As normas da religião judaica estão no Velho Testamento e a cultura cristã adotou muitas dessas normas, adicionando outras conforme os ensinamentos das diversas igrejas. O Alcoorão é o depositário, por outro lado, da cultura muçulmana. Essas normas determinam que alguns tipos de comportamento são sempre errados e portanto, devem ser evitados. Todos temos o direito de escolher as normas segundo as quais pretendemos viver assim como praticar alguma religião. No entanto, quase todos compartilhamos a opinião de que um comportamento sexual egoista, destituido de afeto, é indigno. E isso não se aplica somente ao comportamento sexual mas a vida como um todo. O certo é que somos diferentes, temos necessidaes e maneiras diferentes de viver. Algumas pessoas têm um contato sexual com apenas uma pessoa durante toda a sua vida. E convivem muito bem assim. Outras podem mudar de opinião ao longo de sua vida e experimentar novas alternativas de relacionamento. O que acontece é que, em especial no Brasil, vivemos uma mistura de religiões muito grande o que propicia que a pessoa mude ou conheça pessoa de outra religião e adquira os aspectos culturais e normas sexuais dessa. E não podemos nos esquecer daqueles que não tem nenhuma religião. Talvez para esses, seja difícil entender como pessoas podem ser felizes vivendo os ensinamentos da Bíblia, da Igreja ao qual pertencem ou ao Alcoorão. O Concílio Vaticano II considera tais valores como como “carismas necessários à vida da Igreja” vivendo o celibato e a virgindade como uma “aliança na fidelidade criativa com o Criador”.
A verdade é que sexo não é uma coisa que a gente possa guardar dentro de uma caixinha e só tirar na hora de usar. O que fazemos do sexo reflete a nossa maneira de encarar a vida. O pesquisador americano Alex Confort diz que caso a nossa vida sexual não combine com nossas outras atitudes, com o que acreditamos ser importante e correto, dificilmente conseguiremos tirar o melhor proveito dela. A fé religiosa é uma maneira pela qual as pessoas tentam obter um modelo definido para suas próprias vidas, independente se se goste ou não.
Não acredito, portanto, que seja antiético realizar um procedimento como este. Não é minha competência julgar conduta religiosa de quem quer que seja, se dentro de padrões éticos e de respeito a vida. Mulheres que conheceram homens de culturas diversas da sua, que preservam a instituição da virgindade têm o direito de entrar pela porta da frente nestas culturas, mesmo que seja com o auxílio da ciência.
Alguns casais, com muitos anos de vida em comum, utilisam da himenoplastia ou de procedimentos outros penianos, para inovar na relaçao. Há uma carga midiática grande de “aquecer a relação” onde infelizmente, não é considerada a consulta a um terapeuta sexual antes de qualquer coisa. Entretanto, apesar de alguns casais que entraram para Igrejas Evangélicas e procuram a himenoplastia como parte da “recuperação” da vida “com Deus”, isso não é o mais comum em nossa cultura. O que acontece mais são mesmo jovens que conhecem homens de origem árabe provenientes de uma cultura irredutível em matéria de virgindade e que para entrar nessa cultura, devem se submeter a seus preceitos. A restauração do hímen passa a ser condição “sine qua non” para que isso aconteça.
Falando agora de maneira anatômica, o himem é uma membrana que circunda o intróito vaginal. Essa membrana pode não se romper, se grande em seu diâmetro ou se flácida, permitindo assim o intercurso do pênis. Isso, muitas vezes, ainda pode criar constrangimento.  Pode não sangrar em uma “segunda” primeira vez, apesar de mais fibrótica e isso provocar um sangramento maior, o que também é possível de acontecer. Por isso é muito importante saber o por quê na cirurgia. Algumas paciente acham, por outro lado, que com a himenoplastia deixarão o introito vaginal mais estreito o que não é verdade pois esse estreitamento depende da musculatura e de outras estruturas do períneo.
A restauração do himem é muito simples. Fazemos incisões em cunha nas abas que sobraram com sutura delicada entre elas e recomendamos atividade sexual 30 dias após a cirurgia. A dor pode acontecer de forma mais intensa que da primeira vez pela lesão ser previamente provocada.
                  O que não podemos esquecer é que a valorização da virgindade é um conceito pessoal e de tradição social ou familiar. Questionar isso é o mesmo que questionar a própria cultura à paciente.


E essa não é uma função médica!
Dr. Jorge Gioscia 
51 81778018
jgioscia@ibest.com.br

quarta-feira, 18 de maio de 2011

EJACULAÇÃO PRECOCE

Você deve estar se perguntando oque um tema como este está fazendo em um blog de sexualidade feminina. Mas eu digo a você que isso é um grande problema para homens e mulheres.

Preste atenção: São quase 25 mihões de brasileiros acometidos por essa disfunção sexual. Convencionou-se dizer que a Ejaculação Precoce é uma afecção de natureza psico-emocional. Entretanto, vários autores já admitem a possibilidade de um componente de caráter orgânico nesse problema. Uma situação de hiper-excitabilidade nervosa para os impulsos provenientes da área genital. Ou seja, existem homens que apresentam uma sensibilidade maior da área genital, principalmente a glande. Isso desencadeia um estímulo nervoso mais rápido do que o normal, levando o paciente à ejacular.

O tratamento mais utilizado ainda é a técnica da pausa na masturbação introduzida por Semans (1956) e modificada por Masters & Johnson para a técnica do “pause-squeeze” ou “stop-start”(1976). Do ponto de vista farmacoterápico, inúmeras drogas tem sido utilizadas no tratamento da Ejaculação Precoce como os anti-depressivos inibidores da recaptação da serotonina, de modo geral com efeitos discretos transitórios e ações colaterais que, muitas vezes, levam ao abandono do tratamento. Com um agravante: o aumento dos níveis de Serotonina altera os sistemas imunitário e endócrino, além de alterações comportamentais impulsivas, alterações no sono e ação vasoconstritora.


A indicação de cirurgia para a diminuição da sensibilidade peniana é muito discutida, fundamentalmente, pela pouquíssima pesquisa brasileira em limiar de sensibilidade dos nervos penianos. Entretanto, a Neurotomia Seletiva, ou seja, pequena secção de determinados trajetos nervosos do corpo do pênis para diminuir a sensibilidade, pode sem um benefício extremo para pacientes que detém limiar de sensibilidade do nervo dorsal do pênis menor que 3 mA.

A neurotomia dos nervos penianos atua diminuindo o impulso sensitivo para o sistema nervoso central dos estímulos provenientes da região genital. O paciente pode manipular o pênis. A sensibilidade diminui. Com isso, a penetração passa a ser prazerosa e não traumática.

Dr. JORGE GIOSCIA
5181778018
jgioscia@ibest.com.br

sábado, 14 de maio de 2011

Falando sobre Cirurgia da Intimidade, de verdade!

Olá!

Para falar de cirurgia da intimidade, primeiro é preciso falar de intimidade. E, mais do que curiosa, se você entrou no meu site, algum desconforto você está tendo com relação à sua intimidade e, muito mais, à sua sexualidade.

Está bem... Mesmo que este não seja o seu caso, saiba que muitas mulheres, por não concordarem com a estética da sua intimidade, acabam tendo um terrível prejuízo na sua sexualidade afetando sua auto estima, seu trabalho e sua vida.

Muitas pacientes se mostram insatisfeitas com seu corpo e as mudanças de sua vida íntima após o passar dos anos e depois de tornarem-se mães. O aumento e o escurecimento dos pequenos lábios. Difícil para andar de bicicleta, incômodo e feio quando coloca um biquini. A flacidez dos grandes lábios, a rarefação dos pelos, o barulho provocado pela relação, a cicatriz da episiotomia, os mamilos hemorroidários ou o escurecimento do ânus, ou outra situação qualquer.

O silêncio passa a ser na grande maioria das vezes, seu companheiro, pela vergonha, pelos preconceitos e pelo desconhecimento.

Poucas mulheres sabem que muitas das lesões diretas do canal vaginal após os partos ou com a idade podem afetar tanto a sua vida sexual como a de seu parceiro. Faz barulho, escapa o pênis. Ao contrário, muito seca, dói à penetração. Passam, então a sentirem-se envelhecidas sexualmente. Patologias como a dificuldade no controle da micção, por exemplo, podem causar enorme constrangimento público, muitas vezes.

A opção da Cirurgia da Intimidade, chamada Cirurgia Estética Genital Feminina, vem ganhando mais adeptos no Brasil, a cada dia que passa, tanto médicos como pacientes. O objetivo? Fazer com que as mulheres se sintam mais desejáveis e preocuparem-se mais com sua saúde e seu bem estar, sem preconceitos.

O que há pouco tempo era tratado como uma coisa menos importante, a estética genital promove a saudável discussão entre médico e paciente sobre a melhor alternativa para o rejuvenescimento genital.

O rejuvenescimento genital é um processo clínico-cirúrgico que nasceu a partir da preocupação de especialistas em Estética Genital com o bem estar da mulher e sua satisfação sexual como um todo.




Há, no entanto, a necessidade de se oferecer um atendimento completo a estas pacientes com uma avaliação clínica, ginecológica e psicológica. Mais do que a busca pela beleza e pela saúde, a paciente não pode depositar na Cirurgia Estética Genital a busca do prazer, o que em algumas situações não está longe da verdade. Entretanto, a melhora da auto estima provoca na mulher uma mudança significativa de hábitos e desejos, para ela e, em conseqüência, para seu parceiro ou sua parceira.

Uma conversa aberta e franca com o especialista mostrará os verdadeiros benefícios da necessidade da cirurgia, clareando às pacientes que a Cirurgia Estética Genital não aumenta o prazer, mas pode alterar a capacidade da mulher em ter uma vida sexual muito mais feliz, o que é o desejo de todos.

A melhora tanto estética quanto funcional da área genital feminina dá às pacientes uma satisfação muito gratificante, restabelecendo sua auto-estima e proporcionando o reencontro de uma vida sexual plena e prazerosa.

Veja os procedimentos que consiste a
Cirurgia Estética Genital Feminina:

1. Perineoplastia + Laserterapia – cirurgia que consiste na reconstrução das paredes e da musculatura da vagina, distendidas pelos partos. Pode ser realizada de maneira convencional ou com Laser de CO2, com posterior utilização para rejuvenescimento quando em modo fracionado.

2. Himenoplastia – restauração do anel himenal, com redução do intróito vaginal.

3. Ninfoplastia – cirurgia para diminuição dos pequenos lábios vaginais. Também pode ser realizada a Laser.

4. Plastia de Clitóris – diminuição do tamanho do clitóris.

5. Plastia Labial Vaginal – aplicação de preenchimento para definir os lábios vaginais. Este preenchimento pode ser realizado, ao mesmo tempo, para estreitamento do canal vaginal em pacientes que mantém seu períneo íntegro.

6. Abdominoplastia Inferior com Lipoescultura Púbica – cirurgia estética do abdome inferior com biomodelação da região púbica.

7. Escleroterapia de Varizes – aplicação de solução esclerosante ou laserterapia para varizes vaginais e do períneo, bem como dos membros inferiores.
 
Dr. Jorge Gioscia


VITA NATURALIS
PORTO ALEGRE - RS
51 81778018
51 3311 3989


segunda-feira, 9 de maio de 2011

LASER e o Rejuvenescimento Genital Feminino - FILME

video

LASER e o Rejuvenescimento Genital Feminino

O laser de CO2 ha mais de 15 anos vem sendo utilizado em Rejuvenescimento Facial, Corporal e também na Ginecologia nos tratamentos de HPV e Endometriose.
Recentemente, novos acessórios como Scanners Fracionados,  melhoraram os resultados de suas aplicações. Com os mesmos objetivos de realizar um Resurfacing (uma remocao e renovação da pele tratada com Laserterapia) aplicamos esta tecnologia moderna na área genital com diversos objetivos:

- na vulva, melhorar a qualidade de pele, tornando-a mais firme, mais elástica, mais hidratada e reduzindo a flacidez que se instala com idade e o envelhecimento. Além destes benefícios o clareamento da região intercrural(parte interna das coxas), virilhia, correção de cicatrizes do parto (episiotomia) e cirurgias de Períneo inestéticas.

- na vagina, com objetivos de rejuvenescer e contrair melhor a vagina reduzindo seu diametro e reduzindo o alargamento vaginal, pode ser utilizado na porção dos pequenos labios com objetivo de reduzir a flacidez.

O procedimento é realizado com anestesia local em regime ambulatorial, podendo ser associado a Bioplastia Genital para potenciar os efeitos do rejuvenescimento.

Após a aplicaçao do Laser de Co2 é mantido tratamentos com Fatores de crescimentos e clareadores que aprimoram seus efeitos rejuvenescedores. Assim a pele adquire uma aspect mais hidratado, com mais colágeno e elastina e com efeitos clareantes.

Dr. Jorge Gioscia
51 81778018
jgioscia@ibest.com.br

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Bioplastia de Glúteos

Com a bioplastia de glúteos podemos dar forma no bumbum, aumentar o seu volume, elevar os glúteos dando um aspecto mais empinado. Existem muitas indicações de aplicação da bioplastia nos glúteos, como formato achatado, glúteos pequenos, desproporção na harmonia corporal dentre outros.
A musculatura da região glútea sofre muito com o acúmulo de gordura e a força gravitacional o que a deixa sujeita à flacidez. Por outro lado, pacientes que mesmo desenvolvendo uma atividade física intensa não conseguem formar massa muscular glútea. Como em qualquer procedimento em medicina estética, corrigir ou não esse “problema” é uma questão que envolve além da estética, satisfação pessoal e melhora da auto-estima.

O uso de PMMA - polimetilmetacrilato, é a primeira indicação em pequenos e médios aumentos de glúteos, sem provocar a perda de sensibilidade ao toque. Por quê? Todos sabemos que a cirurgia, implante de prótese para os glúteos, além de dolorida e deixando a paciente muitos dias fora de atividade em função da cicatrização, tem uma alta incidência de infecção pela proximidade ao ânus, o que pode levar a sérias consequencias.

A Bioplastia de Glúteos, tratamento realizado sob anestesia local, de forma ambulatorial, ou seja, não há necessidade de internação hospitalar, é o procedimento mais adequado para a correção de defeitos congênitos, como depressões causadas por procedimentos para correção de celulite, cavidades e variações anatômicas provocadas pela flacidez por falta ou diminuição de gordura em uma ou ambas as nádegas.

Utilizamos um volume de 60 a 70ml por glúteo a cada aplicação. No pós-procedimento, o uso de antibióticos ou antiinflamatórios não é indicado. Apenas analgésicos, dependendo de cada paciente. Não há necessidade de dieta especial. Recomenda-se, entretanto, que o paciente não se faça exercícios físicos ou atividades sexuais nos primeiros 5 a 7 dias após a aplicação. Depois, vida normal !

ATENDIMENTO ESPECIALIZADO

Atendimento Médico Especializado

em ESTÉTICA GENITAL FEMININA

realizado pelo Dr. JORGE GIOSCIA FILHO


VITA NATURALIS
Rua André Puente, 78
Moinhos de Vento - Porto Alegre
51 81778018
51 84961162

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Secreção Vaginal



A intimidade feminina, pelo próprio nome, dá o entender de como é delicada e sensível. O corrimento vaginal é talvez, o maior e mais frequente problema sexual na mulher, o que até mesmo pode determinar sintoma de uma doença grave.

Em geral, a secreção vaginal normal, o “corrimento clarinho” contém fungos e bactérias, que estimulam as células da vagina e do colo do útero a produzirem esta secreção como uma forma de defesa do organismo. Este fluxo, esta secreção também é importante para facilitar a penetração e é estimulada através do toque e da manipulação dos genitais e de áreas sensíveis do corpo.

O corrimento normal é aquele sem cheiro, que não coça e que pode ter uma coloração parecida com a de uma clara de ovo ou um pouco mais branco. O corrimento aparece, preferencialmente, na época da ovulação, que corresponde ao meio do ciclo menstrual e pode se intensificar no período antes da menstruação. A quantidade e o fluxo de uma secreção é única para cada mulher, mas pode ser estimulada através de exercícios especiais. Algumas mulheres podem apresentar mais secreção em relação às outras, principalmente se estiverem fazendo uso de algumas medicações, como anticoncepcionais.

O corrimento anormal é aquele que tem uma coloração brancacenta grumosa, amarelo-esverdeada, roxa ou acinzentada e que pode provocar coceira e ardor na vagina além do intenso mau cheiro. Isso por que pode conter uma infecção ou sangramento. Nestes casos, deve-se procurar um ginecologista para avaliar qual a causa do corrimento e tratá-lo adequadamente, o mais breve possível. O não tratamento pode provocar problemas maiores como infecções nos ovários e no útero e com comprometimento até da própria vida da paciente.

Tudo que aumenta o calor e a umidade dentro da vagina pode predispor a um aumento da secreção. Portanto, algumas medidas podem evitar que ela aconteça são:
> Dormir sem calcinha para diminui o calor e a umidade na vagina
> Usar calcinhas de algodão (o algodão tende a esquentar menos e concentrar menor umidade que os tecidos sintéticos e, por isso, fungos ou bactérias têm menor chance de proliferação)
> Utilizar sabonetes íntimos diariamente no banho (eles ajudam a manter a flora vaginal normal equilibrada)
> Não usar roupas muito apertadas, pois elas aumentam o calor, tornam a vagina um bom meio de proliferação dos fungos e bactérias
> Não deixar a calcinha pendurada no banheiro (isso pode estimular a proliferação dos fungos e bactérias na calcinha pelo excesso de umidade e falta de luz)
> Secar bem ou aparar bem os pelos da vulva, pois isso ajuda a diminuir a umidade da região.
> Manter a flora intestinal equilibrada com higiene adequada após cada evacuação.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Rejuvenescimento Genital

O Rejuvenescimento Genital vem, a cada dia, atendendo a mais mulheres e homens que pretendem acompanhar sua estética genital à estética corporal em si. São pessoas que vêem na melhora do seu corpo e de sua genitália uma maneira de continuar em sua caminhada no combate ao envelhecimento.

       Quando a frustração com a intimidade do seu corpo se torna um empecilho para uma vida sexual mais gratificante e prazerosa, a Bioplastia Íntima e a Cirurgia Estética Genital e o Rejuvenescimento Genital podem, apesar dos preconceitos e da vergonha, melhorar em muito a auto-estima dos pacientes.

       Assim como vários profissionais médicos e pacientes se preocupam com a estética do rosto, do nariz, das mamas, do abdome, já há algum tempo vários especialistas em todo o mundo vêm se preocupando com a beleza e a estética genital. Afinal, se é possível melhorar esteticamente mamas, pálpebras, abdome por que não melhorar também a área genital

       O Rejuvenescimento Genital é um processo clínico-cirúrgico e fisioterápico que nasceu a partir da preocupação destes especialistas com o bem estar da mulher e sua satisfação sexual como um todo. Procedimentos como a Carboxiterapia, a Eletroterapia, a Mesoterapia, a Bioplastia além dos procedimentos cirúrgicos a Laser e da Luz Intensa Pulsada compõem o arsenal do chamado Rejuvenescimento Genital. Há, no entanto, a necessidade de se oferecer um atendimento completo a estes e estas pacientes com uma avaliação clínica, ginecológica ou urológica e psicológica.


                              Mais do que a busca pela beleza e pela saúde, nossos pacientes não podem depositar na Cirurgia Estética Genital ou no Rejuvenescimento Genital a busca do prazer. 
       

        Uma conversa aberta e franca com o especialista, mostrará os verdadeiros benefícios da necessidade de algum procedimento, clareando a todos os pacientes que o Rejuvenescimento Genital e a Cirurgia Estética Genital não aumentam o prazer, mas podem alterar a capacidade de homens e mulheres em ter uma vida sexual muito mais feliz,o que é o desejo de todos.

       Os procedimentos, em sua totalidade, são ambulatoriais, com anestesia local, realizados na própria Clínica, não havendo a necessidade de um repouso mais intenso. A atividade sexual pode se dar, na maioria das vezes, em cerca de 5 a 7 dias. Não há a necessidade de afastamento das atividades profissionais.
Os procedimentos a Laser, por nós já realizados há algum tempo, não sangram e deixam uma cicatriz quase imperceptível.

       A melhora tanto estética quanto funcional da área genital dá às nossas e aos nossos pacientes uma satisfação muito gratificante, restabelecendo sua auto-estima e proporcionando o reencontro de uma vida sexual plena e prazerosa.